Substituir um animal de estimação

O luto
Muitas pessoas precisam de passar por um período de luto antes de poderem considerar a hipótese de terem outro animal. Nos primeiros tempos, muitos donos enlutados acham que nunca vão ter outro animal de estimação porque não conseguem aguentar a ideia de sofrer a mesma perda outra vez. Para muitos, esses sentimentos desaparecem com o tempo, eventualmente acabando por procurar um substituto.

Porém, antes de se fazer isso é importante conformar-se com a perda do seu animal de estimação. Caso contrário, poderá ter dificuldades em aceitar um animal de estimação novo na sua vida. Por esse motivo, desaconselha-se a ideia de os amigos ou parentes oferecerem um novo animal de estimação a um dono enlutado sem o consentimento prévio deste.

A necessidade de ter um animal de estimação
Para algumas pessoas, a vida sem um animal de estimação pode ser intolerável, sendo que precisam de encontrar um substituto para o animal morto poucos dias após a perda. Podem sentir que isso irá ajudá-los a lidar com a dor que sentem. Se se sentir dessa forma, essa é uma iniciativa perfeitamente aceitável, não estando a trair, de forma alguma, a memória do seu antigo animal de estimação.

A substituição
Se optar por substituir o seu animal de estimação, tenha em conta as suas atuais circunstâncias podem ter mudado desde a aquisição do seu animal de estimação anterior. Agora, já pode ser adequada a aquisição de uma nova raça, ou até de uma nova espécie. Também deverá decidir se seria ou não capaz de lidar com a educação ou a prática necessárias no caso de um animal jovem, ou se um adulto seria mais adequado para si.

Lidar com o novo
Finalmente, lembre-se de que o recém-chegado é um indivíduo com uma personalidade própria. Será necessário algum tempo para nascer um novo relacionamento e, de início, poderá ser difícil evitar fazer comparações com o animal que perdeu.

Porém, com o tempo, esse recém-chegado, com o seu próprio carácter, conseguirá encontrar um lugar no seu coração que é tão precioso como o lugar ocupado pelo seu anterior animal de estimação.